Visma exclui hipótese de surto de Covid-19 na equipa: "Continuamos a aplicar o mesmo protocolo rigoroso"

O pelotão da Volta a Itália tem vindo a ser assolado por um vírus e isso já é visível em várias equipas. A Team Visma | Lease a Bike é talvez a mais afetada, uma vez que, em 24 horas, os líderes Olav Kooij e Cian Uijtdebroeks foram forçados a abandonar a corrida, mas a equipa confirma que não se trata de Covid-19.

"Não há dúvidas de que não existe coronavírus na nossa equipa. Continuamos a aplicar o mesmo protocolo rigoroso de coronavírus dos últimos anos, com todos os membros da equipa a ser testados todos os dias", partilhou um porta-voz da equipa com o Wielerflits. "Quando alguém tem corona, apercebemo-nos imediatamente e intervimos de imediato. Não é esse o caso agora".

Seja como for, a equipa está assolada por um vírus respiratório diferente do que provoca a COVID-19 e que se espalhou rápida e intensamente por toda a equipa, eliminando dois líderes, depois de Christophe Laporte ter sido forçado a abandonar pouco antes devido a lesões sofridas numa queda. "Para Olav Kooij, isto começou no dia anterior ao dia de descanso. Na manhã seguinte à sua vitória em Nápoles, foi-lhe diagnosticada uma febre, o que tornou irresponsável a continuação da sua corrida."

"Isto foi uma grande desilusão para o Olav, que queria totalmente completar a sua primeira Grande Volta", conta a Visma. Para Cian Uijtdebroeks, que revelou estar doente no final da 10ª etapa, a situação deteriorou-se da mesma forma: "Piorou pouco a pouco nos últimos dias. Agora, também foi medido um aumento para ele, o que significa que continuar o Giro d'Italia não é uma opção".

Place comments

666

0 Comments

More comments

You are currently seeing only the comments you are notified about, if you want to see all comments from this post, click the button below.

Show all comments

Most read