Apesar da doença, Nairo Quintana está desiludido com a falta de resultados na Volta à Colômbia: "O Nairo coloca muita pressão sobre si próprio nas corridas aqui"

Nairo Quintana é uma estrela absoluta na Colômbia e foi um dos ciclistas em destaque esta semana na Volta à Colômbia. Originalmente um dos favoritos para a classificação geral, "Nairoman" foi afetado por uma gripe que arruinou as suas hipóteses de um regresso bem sucedido ao pelotão.

"Ele estava com gripe, foi isso que aconteceu, nada mais. Não é nada de preocupante", disse o diretor-geral da equipa, Pablo Lastras, ao Cyclingnews, após a morte do colombiano no brutal Alto del Vino. "Ele sentiu-se um pouco bloqueado, mas não é nada de alarmante, nada de preocupante. O Nairo coloca muita pressão sobre si próprio nas corridas aqui, mas penso que os grandes campeões têm de colocar pressão sobre si próprios. Têm de saber geri-la e o Nairo sabe fazê-lo, porque é um vencedor."

Quintana esteve em boa forma nos campeonatos nacionais na semana anterior, com boas prestações tanto no contrarrelógio como na corrida de estrada. Nas primeiras etapas da semana parecia estar num ritmo regular, mas os 30 quilómetros de Alto del Vino expuseram a sua fraqueza. Quintana esteve doente e foi abandonado logo no início, não disputando a vitória da etapa ou a classificação geral.

"O plano original era que o Nairo começasse na Volta Valenciana, mas depois esta corrida foi confirmada tardiamente - no final de novembro, penso eu - por isso alterámos rapidamente o calendário. Tínhamos de o ter aqui - para o próprio Nairo, para o país, para a marca, para a federação", acrescentou Lastras. "Ele é uma espécie de embaixador do país. Portanto, ele tinha de estar aqui e queria estar aqui."

Na folha de resultados, no entanto, está um relativamente ausente 19º lugar, que pouco importa. No entanto, o regresso à competição é importante depois de um ano sem estar num pelotão World Tour. Uma experiência que será valiosa para o jovem de 34 anos, que está a tentar preparar-se para a Volta a Itália na primavera. Espera-se que Quintana regresse em breve à Europa e corra o Gran Camiño, onde estará frente a frente com nomes como Jonas Vingegaard e Cian Uijtdebroeks.

"É evidente que um ano sem competição lhe custou bastante, porque o ciclismo é uma questão de mudanças de ritmo", acrescentou Luis Fernando Saldarriaga, antigo treinador do ciclista colombiano. "Ele tem de se habituar de novo a essas mudanças de ritmo, e isso vai levar tempo".

Deixe um comentário

666

0 Comentários

Mais comentários

Você está vendo apenas os comentários sobre os quais foi notificado, se quiser ver todos os comentários deste post, clique no botão abaixo.

Mostrar todos os comentários