Luke Lamperti mantém-se modesto apesar do impressionante segundo lugar na subida da Volta a Omã: "É um bom resultado, mas vamos continuar à procura de uma vitória aqui"

Luke Lamperti confirmou que é mais do que "apenas" um sprinter vulgar, algo que os especialistas em ciclismo já sabiam de antemão. Mas ninguém esperava que o norte-americano de 21 anos desafiasse alguns dos melhores trepadores e corredores do mundo no topo da subida de Qurayyat e ficasse em segundo lugar no dia.

Nos quase 14% de inclinação para Qurayyat, Lamperti não deu sinais de fraqueza e controlou a situação no grupo, à espera do último pontapé. E provou ser uma boa estratégia, pois venceu o sprint do seu grupo. No entanto, houve um homem que se revelou mais forte no domingo - Finn Fisher-Black, que conseguiu terminar o seu ataque a solo.

"O tempo estava louco. Como não chovia há muito tempo, as estradas estavam muito escorregadias, algo que nunca tinha encontrado antes. A equipa correu muito bem e ajudou-me a chegar à subida numa boa posição. O plano era sobreviver e ver o que conseguia fazer, uma vez que a chegada era, no papel, demasiado difícil para mim, mas com as condições climatéricas era também uma questão de posicionamento e de ser inteligente, e consegui este belo pódio. É um bom resultado, mas vamos continuar à procura de uma vitória aqui," disse Lamperti após a corrida.

Em consequência das condições climatéricas extremas, o itinerário da etapa de segunda-feira será alterado e os ciclistas irão percorrer as estradas mais movimentadas em redor da cidade de Mascate. A etapa 3 proporcionará, assim, outra oportunidade (inesperada) para os sprinters mais versáteis.

Deixe um comentário

666

0 Comentários

Mais comentários

Você está vendo apenas os comentários sobre os quais foi notificado, se quiser ver todos os comentários deste post, clique no botão abaixo.

Mostrar todos os comentários